A Reforma Religiosa


Prof.º Leonardo Castro

O processo de divisão do cristianismo denominou-se Reforma e às novas igrejas, protestantes. A reação da Igreja católica ao protestantismo chamou-se Contra-Reforma.


Em suma, a vida desregrada, a opulência e o luxo do alto clero, a venda de cargos eclesiásticos, a venda de relíquiassagradas” e de indulgências (absolvição papal a pecados cometidos) transformaram a Igreja em alvo de contestações.


Venda de indulgencias, pratica católica combatida por protestantes. Ilustração do séc. XVI. Bridgemann art library.




A Reforma na Alemanha



A Reforma iniciou-se na Alemanha. A liderança coube ao frade Martinho Lutero, com suas pregações na Universidade de Wittenberg, na Saxônia, defendendo a doutrina da salvação pela fé. Em 1517, revoltado com a venda das indulgências, fixou as 95 teses, itens onde criticava o sistema clerical, a venda das indulgências e de cargos eclesiásticos.

Martinho Lutero aos 46 anos. Obra de Lucas Cranach, 1529.


A “Disputação do Doutor Martinho Lutero sobre o Poder e Eficácia das Indulgências”, conhecida como “95 Teses”, desafiou a Igreja, a autoridade do papa e a utilidade das indulgências.


As 95 teses impulsionaram o debate teológico resultamdo no nascimento das tradições luteranas, reformadas e anabaptistas no cristianismo. Este documento é considerado um marco da Reforma Protestante.




Texto e Contexto


95 Teses de Martinho Lutero


“21. Erram os pregadores de indulgências quando dizem que pelas indulgências do papa o homem fica livre de todo o pecado e que está salvo.
33. Deve-se desconfiar daqueles que dizem que as indulgências do papa são um inestimável dom divino pelo qual o homem se reconcilia com Deus.”



A ação de Lutero foi em grande parte uma resposta à venda de indulgências por João Tetzel, um frade dominicano, delegado do Arcebispo de Mainz e do papa. O objectivo desta campanha de angariação de fundos foi o financiamento da Basílica de S. Pedro em Roma.


Em 1520, o papa Leão X, por meio de uma bula, intimou Lutero a se retratar. Lutero queimou a bula papal, sendo excomungado.


Em 1529, devido à expansão das idéias reformistas, Carlos V convocou uma assembléia, a Dieta de Spira, que decidiu tolerar a doutrina luterana das regiões convertidas. Contudo, o problema foi resolvido somente em 1555, com a Paz de Augsburgo, acordo segundo o qual cada príncipe tinha o direito de escolher a sua religião.

Em 1530, Lutéro escreveu a Confissão de Augsburgo, a doutrina luterana: fé como única fonte de salvação; supressão do clero regular, do celibato e das imagens (ícones); livre interpretação da Bíblia; submissão da Igreja ao Estado; manutenção de dois sacramentos: o batismo e a eucaristia.*
*(corpo e o sangue de Jesus Cristo estão presentes sob as espécies do pão e do vinho)



A Reforma na Inglaterra


Na Inglaterra, o líder da revolução protestante foi o próprio rei Henrique VIII. Henrique VIII rompeu com o papado porque pretendia desfazer seu casamento com Catarina de Aragão para casar-se com Ana Bolena, alegando querer um herdeiro para o trono.


Sendo este casado com Catarina de Aragão e estando apaixonado por Ana Bolena, Henrique solicita ao Papa Clemente VII a anulação do casamento. Perante a recusa do Papado, Henrique faz-se proclamar, em 1531, protector da Igreja inglesa.


Henrique VIII rompeu oficialmente com a Igreja de Roma publicando, pelo Parlamento, o Ato de Supremacia (1534), por meio do qual se tornava chefe da Igreja na Inglaterra, mais tarde denominada anglicana. Excomungado pelo papa, o rei confiscou os bens da Igreja católica no país.

A Reforma Anglicana buscou ser a "via média" entre os extremos romanos e puritanos. Assim aceitam os dois sacramentos do Evangelho: o Santo Batismo, através do qual a pessoa é feita membro da Igreja de Cristo, sendo que tal graça é complementada na Confirmação, e na Santa Comunhão, que une o cristão ao sacrifício de Cristo Jesus que os alimenta com seu corpo e sangue.





O Calvinismo


Na Suíça, região de próspero comércio, a Reforma protestante iniciou-se com Ulrich Zwinglio, seguidor de Lutero. Depois chegou à Suíça o francês João Calvino. Conquistando Genebra com suas pregações, Calvino adquiriu controle da vida religiosa, política e moral dos cidadãos da cidade.


Calvino admitia apenas dois sacramentos: o batismo e a eucaristia e condenava a adoração de imagens. O culto em suas igrejas resumia-se simplesmente ao comentário sobre a Bíblia, eliminando as cerimônias pomposas.


Vivendo em uma cidade de mercadores, Calvino criou uma doutrina que alicerçava espiritualmente o capitalismo, estimulando o lucro e o trabalho, favorecendo a burguesia.




A Contra-Reforma


A expansão do protestantismo pela Europa fez com que a Igreja católica buscasse contê-la. Foi a Contra-Reforma.


Fundou-se a Companhia de Jesus (1534), idealizada por Ignácio de Loyola, a fim de combater a expansão protestante, com a difusão do catolicismo, através da catequização e a educação.


Em 1545, o papa Paulo III convocou o Concílio de Trento para estudar os problemas da fé. Porém, o Concílio reafirmou os dogmas cristãos, como o princípio da salvação pela fé e boas obras, o culto à Virgem Maria e aos santos, a existência do Purgatório, a infalibilidade do papa, o celibato do clero, a manutenção da hierarquia eclesiástica e a indissolubilidade do casamento.


Por outro lado, proibiu a venda de indulgências, criaram-se seminários para formar os eclesiásticos, impedindo a venda dos cargos.

Pelo Concílio, a Inquisição ou o Tribunal do Santo Ofício, foi reativado. Nessa época foi criado o Indéx, lista de livros proibidos pela Santa Igreja.




Conseqüências da Reforma Religiosa


• Enfraquecimento do poder político da Igreja Católica;


• Aumento do poder dos reis protestantes, que deixaram de sofrer as interferências do papa nos assuntos de seus países. Nos países católicos, aumento do poder real para defender a Igreja;


• Fortalecimento dos ideais burgueses, principalmente com a difusão do Calvinismo, que justificava o lucro;


• Difusão da instrução religiosa, pois os protestantes passaram a ler a Bíblia (traduzida para o alemão) e os católicos puderam aprofundar seus conhecimentos;


• Estímulo à participação dos fiéis nos cultos religiosos;


• Origem de conflitos entre católicos e protestantes, cada qual pretendendo aumentar sua influência. Na França, por exemplo, houve a Noite de São Bartolomeu (1572), ocasião em que mais de 30 mil protestantes foram mortos por católicos;


• Criação do movimento da Contra-Reforma, reação da Igreja católica à Reforma protestante.

11 comentários:

  1. Pastor participe na rede JOVENS DO SALMO e também
    der apoio para nosso irmão Prof. Hamilton Santana
    sua familia fundou mais de 40 igrejas Adventistas em Feira de Santana
    vote 31311 pra Dep. Estadual
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Excelente trabalho, me ajudou muito mesmo...o melhor site que achei
    ameii

    ResponderExcluir
  3. tenho que fazer um trabalho sobre isso

    ResponderExcluir
  4. Muito bom o site... descobri este através de um vestibular que fiz recentemente em Goiânia.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigado por me ajudar,sou aluna do quarto período de História e desde o primeiro venho tirar minhas dúvidas.

    ResponderExcluir
  7. Gostei, fala sobre as principais reformas :D

    ResponderExcluir
  8. este site foi recomendado por um amigo da italia

    ResponderExcluir
  9. Eu gostei muito me ajudou muito tenho uma prova pra fazer e isso esclarece muita coisa muito obrigada! estão de parabéns! Informações muito claras.

    ResponderExcluir
  10. Bom o texto, só faltou falar um pouco mais de Calvino, a questão do lucro, a predestinação absoluta etc. :)

    ResponderExcluir