HISTÓRIA

leonardonovato@hotmail.com

História (do grego antigo historie, que significa "testemunho", no sentido daquele que vê) é a única ciência que estuda o Homem no tempo e no espaço, concomitante à análise de processos e eventos ocorridos no passado. Por metonímia, o conjunto destes processos e eventos. A palavra história tem sua origem nas «investigações» de Heródoto, cujo termo em grego antigo é Ἱστορίαι (Historíai).





História, do pintor grego Nikolaos Gysis (1892)




Documentos e fontes históricas



Os historiadores usam várias fontes de informação para construir a sucessão de processos históricos, como, por exemplo, documentos escritos, jornais, gravações, gravuras, pinturas, fotos, músicas, entrevistas (História oral) e achados arqueológicos.


Documento escrito. A Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil. 13 de maio de 1888.





Fotografia dos caras pintadas em São Paulo durante o movimento estudantil para exigir destituição do presidente Fernando Collor de Mello, 1992.





Artefato arqueológico. Urna funerária ou Igaçaba indígena da cultura cerâmica marajoara, Ilha do Marajó, Pará, Brasil. 1500 a.C.


Não se passa pela vida sem deixar marcas. Um objeto, uma obra, um desenho, uma canção, uma carta, uma hipótese formulada... são traços da passagem do homem. "Todo e qualquer vestígio do passado, de qualquer natureza", define o documento histórico. Quantas vezes, porém, não foi tentada a falsificação de documentos históricos? Heróis fictícios, peças com atribuições alteradas de origem, tempo e uso, informações sem fontes... muitas e tantas danações dos que querem moldar a história aos seus caprichos. Por isso existe uma ciência especial, a Heurística, só para cuidar da verificação e investigação da autenticidade das fontes históricas.




A era cristã e a divisão da História



A referência de maior aceitação para se contar o tempo, atualmente, é o "nascimento de Cristo". Mas já houve outras referências importantes no Ocidente: os gregos antigos tinham como base cronológica o início dos jogos olímpicos; os romanos, a fundação de Roma. Ainda hoje, os árabes contam seu tempo pela Hégira, a emigração (não fuga) de Maomé de Meca para Medina.




Visões sobre a História


"A história é a verdadeira testemunha do tempo, luz da verdade, vida da memória, mestra da vida, mensageira do passado". (Cícero, senador romano).


"A incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado. Mas talvez não seja mais útil esforçarmo-nos por compreender o passado se nada sabemos do presente". (Marc Bloch).


"O homem não vive somente de pão; a História não tinha mesmo pão; ela não se alimentava se não de esqueletos agitados, por uma dança macabra de autômatos. Era necessário descobrir na História uma outra parte. Essa outra coisa, essa outra parte, eram as mentalidades". (Jacques Le Goff).


"A História procura especificamente ver as transformações pelas quais passaram as sociedades humanas. As transformações são a essência da História; quem olhar para trás, na História de sua própria vida, compreenderá isso facilmente. Nós mudamos constantemente; isso é válido para o indivíduo e também é válido para a sociedade. Nada permanece igual e é através do tempo que se percebe as mudanças". (Vavy Pacheco Borges).


"A História como registro consiste em três estados, tão habilmente misturados que parecem ser apenas um. O primeiro é o conjunto dos factos. O segundo é a organização dos factos para que formem um padrão coerente. E a terceira é a interpretação dos factos e do padrão". (Henry Steele Commager).





+ Dicas para interpretar textos, imagens e mapas.


Para os textos procure seguir estas dicas:

Faça uma primeira leitura do texto.
Identifique o assunto do texto.
Procure informações sobre o autor desse texto. Quem é? A qual grupo social pertence?
Faça uma lista com as palavras principais do texto.
Agora organize essa lista: palavras importantes, palavras que você não conhece.
Procure um dicionário da língua portuguesa para tirar suas dúvidas.
Faça uma nova leitura completa do texto e resolva as questões.


Ex.:

Os índios sob o olhar europeu.

“Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. Nas mãos traziam arcos com suas setas.
Ali veríeis galantes, pintados de preto e vermelho, e quartejados, assim nos corpos, como nas pernas, que certo pareciam bem assim.
Também andavam, entre eles, quatro ou cinco mulheres moças, nuas como eles, que não pareciam mal. Entre elas andava uma com uma coxa, do joelho até o quadril, e a nadega, toda tinta daquela tintura preta. (...) e suas vergonhas tão nuas e com tanta inocência descobertas, que nisso não havia vergonha alguma.”
(Carta de Pero Vaz de Caminha dirigida a D. Manuel, Porto Seguro, Ilha de Vera Cruz, 1° de maio de 1500).



Para as imagens (obras de arte, fotos e ilustrações) procure seguir estas dicas:

Procure identificar o autor da imagem, o ano de produção, o tema ou assunto da imagem.
Identifique todas as pessoas, animais, construções e lugares representados na imagem.
Identifique o que está no centro e à frente. Geralmente é o que o autor quer destacar.
Verifique os espaços laterais da imagem, aquilo que está mais longe do centro, ao fundo ou no alto.
Verifique se há espaços fechados ou abertos.
Verifique se há personagens ou figuras escondidas ou encobertas.
Agora verifique as ações que estão sendo retratadas. Qual é a principal? Quais são as secundárias? (se houver).
Preste atenção nas expressões faciais e atitudes dos personagens. Cada movimento é importante. Não se esqueça dos pequenos detalhes, pois eles revelam muito.


Antropofagia ou canibalismo Tupinambá. A representação do ritual pelo autor desta gravura associa-se às imagens do purgatório e a ação demoníaca, no âmbito do imaginário religioso europeu. Theodore De Bry, Grandes Viagens, 1592.


Para os mapas procure seguir estas dicas:

Leia o título do mapa. Nele está contido o assunto representado.
Identifique quais são as partes do mundo retratadas.
Observe quais são as partes destacadas (países, continentes, regiões...)
Identifique a posição relativa de localização em relação ao ponto onde você se encontra, ao norte, ao sul, a leste ou a oeste.
Identifique os rios e mares representados.
Verifique se há indicação de cidades, reinos, impérios ou outra divisão política no mapa.
Verifique se há representação de relevo ou vegetação.
Leia com atenção as legendas. E identifique no mapa os sinais e as cores apontados. São informações muito importantes.
Faça por ultimo uma leitura global do mapa. Procure identificar todas as informações contidas.
Relacione o assunto e as informações trazidas pelo mapa ao tema desenvolvido.


O Tráfico Negreiro para o Brasil. O mapa acima mostra a rota do tráfico de negros no contexto da escravidão de africanos nas Américas. O mapa destaca o continente africano e os lugares principais de origem dos negros vindos ao Brasil. Destaca também o oceano Atlântico, rota marítima da África ao Brasil. Neste sentido, dá destaque ao continente americano e os locais onde os negros desembarcaram (Estados Unidos, Cuba, Porto Rico, Brasil e Argentina).